Porosidade

Série: Carta de uma Analfabeta

Objeto​

---

É o conteúdo da carta psicografada, ou seja, as palavras perfuradas, com alfinete em 6 folhas de papel antigo e amarelado pela ação do tempo, encontrados durante a busca pela carta original. 

O ato da perfuração tentou traduzir a agilidade dos gestos da escrita da carta psicografada num esforço físico, num movimento ritualístico e repetitivo.

Abrir os poros do papel, desobstruir as palavras, preencher as letras de vazio, encher de respiros, de ar, de sopro, adquirir porosidades para impregnar de luz. Inserir atmosfera, atravessar a superfície e guardar o gesto.

"O ar guarda a agitação, o sopro e a luz que tinha, tal dia do ano passado e não depende mais de quem o respirava, naquela manhã." (Deleuze e Guattari, O que é Filosofia?, Ed. 34, p.192)

 

 contato: ana@anaandreiolo.com   |   Rio de Janeiro - Brasil   |   © 2019 por Ana Andreiolo