Punctum

Na paisagem de horizonte aberto e vertiginoso que a lunação pisciana nos abriu, encontramos um ponto, um punctum, como conceituou Barthes.

Aquele ponto em que algo a mais se revela.

Aquele detalhe quase indescritível.

Que agudamente nos fura, nos toca e nos afeta.

Ora, se algo salta aos olhos é porque não se trata de um olhar gélido, mas sensível.

É uma experiência súbita do olhar que nos desperta.

É um detalhe fascinante invisível aos olhares cotidianos.

É uma graciosidade, uma delicadeza que perfura sem intenção de ferir, mas de alcançar.

É inesperado, não enquadrado, não proposital, se revela sem aviso prévio, de repente, como o amor, se você piscar ele lhe escapa.


  • Spotify
  • Instagram
0
Bem-vindxs. - Por Ana Andreiolo
00:00 / 00:00

© por Ana Andreiolo. Todos os direitos reservados.